É possível prevenir acidentes em crianças!

Diz-se muitas vezes que aquelas pessoas que têm algumas cicatrizes no corpo foram crianças que brincaram muito e, por isso, tiveram muitos ferimentos, fraturas e outras lesões. Existem aquelas crianças que estão sempre com gesso quando chegam das férias depois dos “inevitáveis” acidentes. Será que são inevitáveis mesmo?
Infelizmente, muitas crianças hoje em dia passam a infância em frente a uma televisão, um videogame ou um computador e raramente saem de casa. Deixam, assim, de aproveitar essa fase maravilhosa para brincar, fazer amizades e desenvolver-se fisicamente. Antes, os pais não tinham como deixar a criança sair à rua devido a muitos perigos. Agora, porém, Sorocaba tem vários parques que permitiram às crianças um maior acesso à recreação. Graças a essa democratização do lazer seria esperado um maior índice de lesões, a exemplo do que ocorreu com a menina que teve esmagamento do dedo quando brincava em um gira-gira, no Parque São Bento. Casos como esse fazem-nos refletir se seria possível evitar que lesões ocorram e prevenir os acidentes?
Considera-se que os acidentes são a primeira causa de mortes em crianças em países desenvolvidos. Destes, 90% poderiam ser prevenidos. A prevenção de lesões não recebe a devida atenção das áreas que estariam diretamente relacionadas ao assunto, como saúde, transportes, recreação, justiça e planejamento das cidades. E por ser a prevenção uma responsabilidade de todos acaba não sendo de ninguém.
Toda lesão é um dano causado a um corpo pela transferência excessiva de energia, que pode ser mecânica, térmica ou química. A prevenção deve ter estratégias pré-evento, no evento e pós-evento.
As estratégias pré-evento são aquelas que evitam que o acidente ocorra, dentre elas as leis de trânsito, o desenho de veículos e também o projeto de brinquedos mais seguros e sua manutenção. As estratégias no evento são aquelas que buscam proteger o indivíduo durante o acidente, como air-bags e cinto de segurança dos veículos. As estratégias pós-evento buscam reduzir os danos através de uma rápida resposta do serviço de emergência e transferência para o apropriado tratamento das lesões e sua reabilitação.
As crianças são gravemente afetadas pelos acidentes. Além de serem mais vulneráveis, como passageiros, não têm cintos apropriados para crianças, exceto se utilizarem cadeirinhas especiais ou elevadores de assento, também chamados busters. Como pedestres, são mais vulneráveis por andar mais e também por sua experiência e habilidades ao atravessar uma rua serem menores do que as de um adulto. A educação de crianças para o trânsito é importante, mas, acima disso, são importantes medidas para diminuir a velocidade próximo a escolas e a colocação de playgrounds em locais distantes da via pública. O ciclismo é uma atividade saudável e deve sempre ser estimulada e a construção de ciclovias, como em Sorocaba, distantes do tráfego de veículos, é, sem dúvida, uma medida de prevenção. A utilização de capacetes em ciclistas pode prevenir lesões da cabeça em 85% dos casos e seu uso deve ser estimulado.
As lesões do esporte são motivo de grande preocupação na prática médica. Hoje em dia, as crianças são estimuladas a praticar esportes de forma competitiva. Como médico ortopedista, tenho observado o aumento da incidência das lesões do ligamento cruzado anterior em crianças. Essas lesões também são passíveis de prevenção, tais como o uso de equipamento e calçado apropriado, treinamento frequente e correto e em terreno adequado.
Diminuir a atividade ou a diversão das crianças não faz parte da prevenção de acidentes. Elas devem ser encorajadas a serem ativas, até mais do que têm sido atualmente. No entanto, é um dever de todos melhorar a segurança nas atividades esportivas e recreativas bem como no transporte, seja como pedestre ou passageiro.

Dr. Eduardo Luís Cruells Vieira é médico ortopedista do Centro Avançado de Ortopedia e Instituto do Joelho de Sorocaba.