Travesseiros e colchões: aliados ou vilões do sono

A função do sono é recuperar a energia física e mental e eliminar o estresse do dia-a-dia. No entanto, quantas pessoas não acordam já reclamando de dores no corpo?

O que muitas dessas pessoas não sabem é que a causa dessas dores pode estar muito além da postura ao dormir. Ela pode estar relacionada ao travesseiro ou ao colchão, itens que, se não adequados, passam de aliados a verdadeiros vilões do sono tranqüilo.

De acordo com os fisioterapeutas do Centro Avançado de Ortopedia, Mateus Francisco Rossi e Priscila Trevizan Pereira Vieira, acordar com dores no corpo não deve ser considerado normal. Pelo contrário, é um alerta de que algo está errado na hora do sono.

Os especialistas contam que muitos dos pacientes que atendem, apesar de atentos à postura ao dormir, acordam com dores, principalmente, nas costas e no pescoço. “Se a pessoa não tiver distúrbios relacionados ao sono, como insônia, dificuldade respiratória e problemas emocionais, nesses casos, as dores ao acordar podem estar ligadas ao travesseiro ou ao colchão inadequado”, falam.

Para que problemas posturais durante o sono possam ser descartados é preciso observar, antes de tudo, o modo como se está descansando na cama. Segundo os fisioterapeutas, a postura ideal é a de lado, buscando o alinhamento do pescoço com a coluna. Na contramão, dizem eles, a posição considerada mais prejudicial para dormir é a de bruços, onde a pessoa acaba forçando demais o pescoço que, para acomodar-se no travesseiro, tem que ficar virado, em posição de rotação.

Mas em que momento o travesseiro ou o colchão pode ajudar – ou atrapalhar – no processo do sono? Os fisioterapeutas explicam que a função do travesseiro é, justamente, a de preencher, tão somente, o espaço que sobra entre o pescoço e o ombro, de modo que a coluna fique em linha reta quando a pessoa se deita de lado. “Se alguém observar uma pessoa deitada de lado, sobre um travesseiro, deverá enxergar como uma linha reta entre a cabeça e a coluna. Se o pescoço estiver para acima ou para abaixo dessa linha, é sinal de que o travesseiro está incorreto e, com certeza, esse é um candidato a acordar com dores no pescoço ou nos ombros”, afirmam.

E o colchão? O colchão, explicam, deve ser ortopédico ou semiortopédico, mas não muito macio. Sua densidade deve ser de acordo com o peso e a altura de cada pessoa.

Sofá não é cama!

“As pessoas devem ser lembrar que lugar de dormir é na cama, nunca no sofá”, destacam os fisioterapeutas.

Elas explicam que ao assistir à TV também é recomendado prestar atenção à postura. É aconselhável, dizem, que a TV fique numa posição que possa ser olhada de frente, nunca de lado, pois, desse último jeito, a pessoa está forçando o pescoço.

Veja algumas dicas:

Travesseiro: tanto faz se é firme ou macio. Isso vai da preferência de cada um. A função do travesseiro é a de, tão somente, “preencher” o espaço que sobra entre a cabeça e o ombro quando a pessoa se deita de lado. Dever ser trocado periodicamente, pois deforma com o tempo.

Colchão: deve ser ortopédico ou semiortopédico e não muito macio. A densidade deve ser de acordo com o peso e a altura da pessoa, devendo ser substituído periodicamente, pois também deforma com o tempo. Os colchões comuns devem ser virados, de cabeça para baixo e para cima, a cada 15 dias; e os modelos com pillow devem ser rodados na cama, nos dois casos para evitar deformidades em pontos específicos.