Coluna Vertebral

A Coluna Vertebral é composta de vértebras alternadas por discos intervertebrais fibrocartilaginosos, conectados por ligamentos fortes e sustentada por uma musculatura que se estende desde o crânio até a pelve.

Há 33 vértebras, sendo 7 cervicais, 12 torácicas, 5 lombares, 5 sacrais e 4 coccígeas.

Uma vértebra típica é formada de um corpo anterior e um arco posterior, formados pelos pedículos e laminas que formam o processo espinhoso. A cada arco do corpo vertebral, há um processo transverso e processos articulares superiores e inferiores. Esses processos se articulam com as vertebras adjacentes tanto superior como inferior com articulações sinoviais.

Os corpos vertebrais se articulam entre si por meio do disco intervertebral e esses discos são capazes de absorver muitas pressões aplicadas sobre a coluna vertebral. O disco consiste de uma camada externa de tecido fibroso, chamada de anel fibroso e uma parte central, o núcleo pulposo.

A coluna vertebral possui curvas fisiológicas, sendo as curvas lordóticas (cervical e lombar) e as curvas cifóticas (torácica e sacral)
As patologias da Coluna Vertebral podem ser de causa congênita ou do desenvolvimento, de causa traumática ou degenerativa.

Lesões do Esporte

A atividade física tem sido cada vez mais vista como um importante fator na obtenção de uma boa saúde física e mental. Os exercícios podem ser realizados no contexto do condicionamento físico ou a prática de esportes. As lesões do esporte podem ser consequência de uma lesão por sobrecarga ou devido a um trauma.

Lesões traumáticas: de frequência variável de acordo com o esporte. Esportes de contato como o futebol, basquete e handebol tendem a ter mais lesões traumáticas do que esportes sem contato como o vôlei e o tênis. A apresentação das lesões são geralmente, óbvias e imediatas com dor aguda, edema (inchaço) e limitação funcional. Como exemplo das lesões traumáticas têm-se as fraturas, luxações, as lesões ligamentares do joelho (ligamentos cruzados anterior e posterior entre outros), a entorse do tornozelo, roturas de outros ligamentos e tendões. Alguns com necessidade de tratamento cirúrgico como as lesões do ligamento cruzado anterior e outras podem ser de tratamento não-cirúrgico.

Lesões por sobrecarga: muito comuns em atividades repetitivas. Com a popularização das atividades de corrida e outras formas de condicionamento físico, houve um aumento significativo das lesões por sobrecarga. Elas se devem de modo geral a lesões microscópicas do sistema musculo-esquelético. Podem ter causas intrínsecas como o desalinhamento, desequilíbrio muscular e outras alterações anatômicas e fatores extrínsecos como o erro de treinamento, falha técnica, calçados não apropriados e superfícies inadequadas.
São muitas as lesões do esporte e seria insuficiente neste espaço descrever todas.

1. Lesões do osso:
a. Fraturas
b. Fraturas por stress
i. Síndrome do stress tibial medial (canelite)
c. Osteoporose.

2. Lesões Articulares:
a. Lesões ligamentares
b. Entorse
c. Luxação
d. Lesões do menisco
e. Lesões da cartilagem articular
i. Osteocondrite dissecante
f. Osteoartrose secundária
g. Artrites
i. AR, gota e outras inflamações articulares.

3. Lesões musculares:
a. Ruptura muscular
b. Ruptura do tendão
c. Distensão muscular
d. Tendinite, peritendinite, bursite, entesopatias.

× Agendar Consulta